A educação de Duque de Caxias está de portas abertas para promover produções artísticas criadas por alunos da rede. Partindo desse princípio, foi lançada na terça-feira (05/11), na sede da Secretaria Municipal de Educação, uma exposição de quadros pintados por talentosos estudantes, de 11 a 15 anos, da Escola Municipal Capitão Fuzileiro Naval Eduardo Gomes de Oliveira. Ao todo, são cerca de 30 pinturas em tela, entre figuras abstratas e paisagens. O material está à venda e o aluno recebe o valor integral da sua obra. A exposição conta com o apoio da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo, por meio da Casa de Iniciação às Artes (Ciart).
A mostra, que se encontra no 4º andar do prédio da SME, é aberta ao público e ficará exposta durante todo o mês de novembro, das 9h às 16h. Ao longo do período, ainda haverá apresentação de obras artísticas de outros alunos.
  A outra novidade é que, consciente sobre a questão da acessibilidade, a SME identificou os quadros com descrições também em braile (alfabeto dos deficientes visuais) sobre a pintura, nome do artista e texto poético feito pelos próprios alunos.
A iniciativa em montar a exposição foi idealizada pela secretária de Educação, Cláudia Viana, que, durante uma de suas visitas à unidade escolar, ficou encantada ao ver a produção artística dos alunos da professora de Artes, Simone Santiago, e decidiu dar visibilidade ao trabalho.
A abertura do evento contou com a presença dos pequenos autores, que ficaram emocionados ao vislumbrarem seus trabalhos expostos e admirados por funcionários e visitantes. Também estiveram presentes, a subsecretária Pedagógica, Tatiana Várzea e a subsecretária de Administração e Gestão de Pessoas, Iracema Medeiros, além da diretora da Ciart, Geísa Pinto, do diretor da escola, Jardel Rabelo de Almeida, e representantes do Corpo de Fuzileiros Navais da Marinha do Brasil – Base de Fuzileiros Navais do Rio Meriti.
De acordo com Cláudia Viana, é fundamental a Educação realizar ações atreladas à arte e além da sala de aula. “Com essa atitude, o trabalho dos alunos é valorizado, o que é importante para a construção da identidade de cada um. Percebemos o sentimento, a reflexão e o talento deles retratados nessas belíssimas obras. Cada um tem o seu dom, por isso é preciso olhar para o outro, saber respeitar e reconhecer o empenho de cada um. É um estímulo para produzirem o seu melhor”.
A iniciativa foi marcante também para quem expôs o quadro pela primeira vez e ainda o vendeu. Como foi o caso do talentoso Raphael Silva dos Santos, de 11 anos, e aluno do 6º ano do Ensino Fundamental. De acordo com o menino, a obra de um famoso pintor europeu foi a sua fonte de inspiração para compor seu colorido e belo abstrata trabalho. “É uma felicidade, uma emoção muito grande para mim estar aqui. Meu quadro foi inspirado na arte do Pablo Picasso, que foi apresentado pela minha professora”, disse todo orgulhoso, ao lado da compradora do seu quadro.
As aulas de Artes, que funcionam no contraturno escolar, com apoio da Ciart, funcionam atualmente em 29 unidades escolares da rede e são atendidas nas quatro linguagens artísticas: Música, Dança, Teatro e Artes Visuais, com uma média de 2.500 alunos mensais.
Para a professora Simone, que é formada em Belas Artes pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), o projeto proporciona ao professor a liberdade de trabalhar sua linguagem artística e colher resultados promissores. “Na nossa rede existem processos pedagógicos fantásticos realizados por excelentes profissionais. Quando a Secretaria decide por uma exposição em suas dependências, valoriza o esforço de todos. Somos mais fortes como equipe”, finalizou.

About Marilea