Educação vai além do conteúdo pedagógico. Proporcionar óculos de grau gratuitos para alunos da rede é uma das iniciativas que a Secretaria Municipal de Educação aderiu em prol da qualidade da aprendizagem. Na segunda-feira (25/11), a secretária da pasta, Claudia Viana, e a diretora do
Departamento de Programas e Projetos Educacionais (DPPE), Arlene Cavalini, entregaram o acessório aos estudantes das escolas Sandro Izidro e Santa Rita, localizadas em Xerém. Durante a ação, era visível a emoção da garotada ao receber o benefício. “Uauuu, estou enxergando bem melhor agora”, disse uma das meninas, encantada ao colocar os óculos.
             A iniciativa é fruto do convênio firmado entre a SME e a Fundação ArcelorMittal, autora do programa Ver e Viver, que visa diagnosticar precocemente a deficiência em alunos do Ensino Fundamental e fornecer óculos gratuitos de acordo com a necessidade de cada um. A ação já contemplou também a Escola Municipalizada Sergipe, CIEP Municipalizado 338 – Célia Rabelo, e E.M.Tabuleiro. Ao todo, cerca de 80 alunos receberam o benefício.
              “É uma felicidade muito grande darmos condições a essas crianças de poder enxergar melhor, o que favorece o aprendizado delas. Eles recebem óculos de excelente qualidade, que eles mesmos escolhem e ainda contam com acompanhamento médico especializado, no Hospital Municipal do Olho, onde possui uma tecnologia de ponta e é referência para todo o Estado.

            Liliane Macena, mãe da aluna Gabriela, de 9 anos, da Escola Santa Rita também era só alegria. Essa atitude é maravilhosa. Quando minha filha era bebê passou por uma cirurgia na visão, mas eu não sabia que o grau dela havia aumentado tanto. Não tenho condições financeiras de comprar um óculos e graças a esse trabalho foi possível beneficiar a minha menina”, comemorou.

           Para a avaliação todos os alunos, inicialmente, passam por uma triagem na própria unidade escolar feita por Articuladores de Projetos da SME, que foram treinados por um especialista para aplicarem o teste de acuidade, por meio da Escala Optométrica de Snellen, que é um quadro com letras, capaz de identificar a deficiência.

          Após a pré-avaliação, que conta com o apoio da Secretaria Municipal de Saúde, os alunos identificados com possíveis problemas visuais são encaminhados para uma consulta no Hospital Municipal do Olho Júlio Cândido de Brito, onde possui uma tecnologia de ponta e é referência para todo o Estado. Lá, eles recebem um diagnóstico preciso.

About Marilea