A Secretaria Municipal de Educação emocionou e encantou o público ao promover os espetáculos de dança “No fundo do mar” e “Ritmos”, apresentados por alunos da rede, no sábado (30/11), no Teatro Raul Cortez. O evento teve a duração de duas horas e foi dividido em dois atos: o primeiro, criado e dirigido pela professora de dança e articuladora de projetos da SME, Grazi Di Castro, foi protagonizado pela graciosidade do ballet clássico, do Projeto Pequenos Passos, formado por cerca de 60 alunos da creche Municipal Professora Jesuína de Fátima de Andrade e Escola Municipalizada Sergipe. O segundo, que prioriza a inclusão, ministrado pelo professor da rede, Guilherme Diaz, conta com estudantes especiais e da classe regular, da Escola Municipal Pestalozzi  e do CIEP Municipalizado 405 – Ministro Santiago Dantas. Eles deram um show à parte ao apresentar variados ritmos musicais.
Em meio a um
esplendoroso cenário temático e multicolorido, além de figurinos ricos em detalhes, beleza e criatividade, a performance dos alunos foi marcante.
Na plateia, familiares e convidados estavam em
êxtase. Era comum ver muitos deles secando as lágrimas. “Minha filha está ali. Veja que linda!!! É muita emoção”, apontava uma das mães.
A inic
iativa é coordenada pelo Departamento de Programas e Projetos Educacionais (DPPE) da SME. As aulas são gratuitas e oferecidas a esses alunos nas próprias unidades escolares. A intenção da SME é expandir o trabalho para outras escolas. Estiveram presentes, a subsecretária Pedagógica, Tatiana Várzea, que foi representando a secretária de Educação, Cláudia Viana; a diretora do DPPE, Arlene Cavalini e a diretora do Centro de Pesquisa e Formação Continuada Paulo Freire (CPFPF), Gisele Teixeira. “É um orgulho para a SME oferecer oportunidades de desenvolvimento dos alunos em diversas áreas. Parabéns aos profissionais envolvidos. Sem vocês, esse sonho não seria possível”, retribuiu Tatiana Várzea.
           Visivelmente emocionados, os professores Grazi e Guilherme foram homenageados pela SME e por seus alunos, que leram textos sobre a transformação positiva que a dança proporcionou na vida deles. O projeto revelou, inclusive, talentos. Como é o caso da aluna Kelly Monteiro, de 14 anos. Descoberta e apadrinhada pelo professor Guilherme, ela ganhou uma bolsa para estudar numa renomada escola de dança. “Amo dançar e sonho ser uma grande bailarina. Agradeço muito a oportunidade que a Educação me deu”, destacou.

          O espetáculo também contou com a apresentação do grupo teatral da SME, Encantadores de Histórias. Eles fizeram uma montagem lúdica, com enfoque para a conscientização ambiental e o amor ao próximo. A sereia Ariel e a vilã Úrsula, personagens do filme da Disney, além de pescadores, foram representados na peça, que também interagiu com o público. A festa contou ainda com a participação especial da bailarina e funcionária da SME, Neuza Brasil.

          Para Aline Brito, mãe dos gêmeos Ana Elisa e Calebe, de 4 anos, além de Emanuel, de 2 anos, que são alunos da creche Jesuína, promover aulas de dança gratuitas na escola pública é uma ação louvável. “É prazeroso ver meus filhos no palco de um teatro. Isso não tem preço. A aula de dança mudou até o comportamento deles para melhor”.

About Marilea