A Escola Municipal Nova Campinas encontrou no esporte um importante aliado para o desenvolvimento educacional dos seus alunos. A unidade, que fica no bairro de mesmo nome, driblou os desafios e virou referência na rede com a prática do handebol. A escola acumula 38 troféus e medalhas, entre campeonatos no município e em outros estados. O mais recente foi a 50ª edição dos Jogos Estudantis, promovida pela Prefeitura, em novembro deste ano. O evento contou com a participação de 25 escolas. Única unidade pública do município a disputar o handebol, Nova Campinas ainda conquistou o vice-campeonato nas categorias Sub-14; e foi terceira colocada, na categoria Sub-17. O desempenho dos alunos-atletas chamou tanta atenção, que cinco deles receberam bolsa integral para cursarem o Ensino Médio em uma tradicional escola particular da região, que é detentora de vários títulos e prêmios no handebol. São eles: João Victor Figueira, de 17 anos; Genilson Pereira, 16 ; Marcelly Cristiny Oliveira, 15, e Ravel da Silva, 14.
Emocionados com o reconhecimento, eles contam que o handebol foi um grande diferencial para alcançarem um bom desempenho escolar. “Minhas notas melhoram muito. Passei em todas as matérias. Este ano, concluo meus estudos nesta escola, mas, felizmente, já temos um futuro garantido. Agradeço o nosso treinador, que sempre acreditou no nosso potencial e nos incentiva.”, contou João Victor, que tem 1,87 de altura e quer cursar Educação Física e se profissionalizar no handebol.
Atualmente, cerca de 50 alunos, entre 7 e 17 anos, participam das aulas de handebol, na Escola Nova Campinas. O professor de Educação Física, Celso Siqueira, é o responsável pelo treinamento das equipes. Ele atua na rede há nove anos e, desde então, desenvolve um trabalho formidável. “Saber que estou contribuindo por uma educação com mais qualidade é o que me inspira. É gratificante ver o brilho nos olhos deles quando sobem ao pódio. É como se passasse um filme na cabeça sobre tudo que eles enfrentaram para chegar ali. O resultado a gente vê na prática. O apoio da Secretaria de Educação também é fundamental no sucesso desse trabalho, pois recebo hora extra para dar aulas no contraturno, e eles ainda disponibilizam transporte para participarmos das competições regionais”, comemorou o professor, que também se orgulha ao citar a ex-aluna, Ana Júlia Flauzino, de 19 anos, que hoje atua na Seleção Brasileira de Handbeach (handebol de praia). “Até hoje ela treina aqui na escola e é uma referência para os nossos alunos. Isso é muito especial para mim; é ter certeza de que estou no caminho certo”, comemorou Celso.

Ana Júlia conquistou medalha de prata, no Sul-Americano de Handbeach, na Argentina

About Marilea