Com o objetivo de conscientizar os alunos sobre a importância da terra, da sustentabilidade e do consumo de uma alimentação saudável, a Secretaria Municipal de Educação lançou o projeto Mãos à Horta, em julho deste ano, e tem colhido resultados promissores. Atualmente, nove escolas aderiram ao projeto e já apresentam belas plantações de hortaliças e temperos, que, inclusive são utilizadas na alimentação escolar. A participação dos estudantes no processo é integral, desde o plantio das sementes até a colheita. A SME ainda contratou agricultores para atuarem, junto aos professores, como monitores na orientação e manutenção das hortas. Para tornar a novidade ainda mais atrativa e sustentável, algumas foram decoradas com garrafas pets coloridas e em variados formatos, entre eles, coração, estrelas e círculos. A expectativa é estender o Mãos à Horta para todas as unidades escolares da rede.

        Para a secretária de Educação, Claudia Viana, que visitou as hortas, acompanhada pela diretora do Departamento de Programas e Projetos Educacionais (DPPE), Arlene Cavalini, responsável pelo setor que coordena o projeto nas escolas, a iniciativa funciona como um ótimo recurso didático e tem atendido as expectativas. “É um projeto inovador, pois possibilita ao nosso aluno um contato direto com a terra; conhecer, valorizar e gostar dos produtos naturais, que são tão importantes para o desenvolvimento humano. Além disso, podem difundir esses conhecimentos para os demais meios em que estão inseridos, principalmente o ambiente familiar. Tudo isso tem trazido para eles um prazer muito grande, pois se tornam coautores desse trabalho maravilhoso”, pontuou Claudia.

        Apesar da pouca idade, Laila Silva Barbosa e Inácio Carvalho, ambos de 4 anos, alunos da Creche Irmã Arnalda Da Silva Neves, em Xerém, contam com orgulho a experiência com o plantio. “Plantei meu pé de feijão, regava todos os dias, esperei ele crescer e agora está bem grandão”, mostrava Inácio. “Fizemos uma horta linda igual ao livro que lemos”, vibrou a pequena Laila.

A horta é fundamental para a vivência das crianças. Elas ficam ansiosas para chegar o dia das atividades”, acrescentou a diretora da escola, Luciana Viana.

Aqui há muito amor, dedicação e doação. Não tem dinheiro que pague ter contato com as crianças e a natureza. Montamos berçários das sementes e os alimentos colhidos saem diretamente para a cozinha da escola”, contou o monitor Antonio Belúcio.

A atividade com as hortas ainda auxilia nas disciplinas tradicionais, como Ciências, Matemática e Português, entre outras. Como acontece no CIEP 330 -Maria da Glória Corrêa, em Imbariê – onde há 840 alunos. “O que vale é a criatividade. Teve um professor de Matemática, por exemplo, que veio dar aula aqui. Ele mostrou na prática como calcular a quantidade e o volume dos produtos. Além disso, promovemos uma campanha para os alunos trazerem garrafas pets para decorar a nossa horta. Até os alunos do EJA (Ensino de Jovens e Adultos) estão participando. Enfim, a adesão está sendo maravilhosa” contou a diretora Rita Meireles.

As escolas que fazem parte do projeto Mãos à Horta são: CIEP 227 – Procópio Ferreira, Dalva Borges da Cunha, Barão do Amapá , Creche e Pre Escola Municipal Irmã Arnalda Da Silva Neves, Castro Alves (1º distrito), Almirante Tamandaré, CIEP 330 Maria da Glória Corrêa, Prof. Alberto Ribeiro Vasconcelos e Marechal Mascarenhas de Moraes.

About Marilea