A Secretaria Municipal de Educação, que aderiu à política de enfrentamento ao alto índice de suicídios entre jovens de 15 a 29 anos, foi convidada para participar, nesta terça-feira (03/03), da cerimônia de inauguração do Instituto de Pesquisa, Prevenção e Estudos em Suicídio (IPPES). Independente e sem fins lucrativos, a entidade é a primeira voltada à pesquisa e ensino em prevenção dessa temática. A SME foi representada pela subsecretária Pedagógica, Tatiana Várzea, acompanhada da diretora do Centro de Pesquisa e Formação Continuada Paulo Freire (CPFPF), Giselle Teixeira, e da psicóloga Marcela Giro. Estiveram também presentes alguns dos principias pesquisadores e autoridades que abordam o tema no Brasil.

subsecretária Pedagógica, Tatiana Várzea (meio), acompanhada da diretora do CPFPF, Giselle Teixeira (direita), e da psicóloga Marcela Giro.

Durante o evento, a Educação de Duque de Caxias também foi destaque. A cerimônia foi marcada pela entrega da placa “Escola Amiga da Prevenção” para a Escola Municipal Jayme Fichman, no bairro Saracuruna. O diretor da unidade, João da Costa, recebeu a homenagem das mãos da presidente do instituto, a professora e cientista política Dayse Miranda. A escola será a próxima a receber o programa EscolaQPrevine, que visa formar multiplicadores da prevenção às violências autoprovocadas (suicídio, tentativa, ideação e autolesão sem intencionalidade suicida) em ambiente escolar.

A Jayme Fichman é a segunda escola da rede a aderir ao projeto. Em 2018, a Secretaria Municipal de Educação assinou um termo de cooperação com o Grupo de Estudo e Pesquisa em Suicídio e Prevenção (GEPeSP), que na época era vinculado ao laboratório de análise da violência da UERJ. Em 2019, o programa foi lançado na Escola Municipal Roberto Weguelin de Abreu, em Jardim Imbariê, escolhida por apresentar maior vulnerabilidade às violências autoprovocadas, de acordo com pesquisa realizada na cidade. O sucesso do trabalho foi tamanho, que resultou em matéria veiculada no Fantástico, programa da TV Globo, e no jornal O Dia.    “Estamos muito felizes com o resultado dessa parceria. Alunos e professores passaram pela formação e agora se tornaram multiplicadores da ação. A nossa proposta é expandir para todas as escolas situadas em áreas de maior vulnerabilidade. Infelizmente as violências autoprovocadas têm sido uma realidade em meio aos nossos adolescentes, por isso apostamos em parcerias que possam nos dá suporte para um trabalho pedagógico que leve em consideração o contexto de vida de cada aluno”, frisou Tatiana Várzea.

A partir de agora, a SME, por meio de uma equipe multidisciplinar formada por psicólogos, assistentes sociais e fonoaudiólogos, realiza palestra, formação para orientadores e roda de conversa com os alunos.

E o avanço do programa foi ainda além. O GEPeSP passou a ser instituto, que foi inaugurado. A presidente do IPPES, Dayse Miranda, foi enfática ao dizer que “A partir de agora poderemos ampliar nossas pesquisas, oferecer novos cursos e expandir as ações de prevenção. Lançamos um novo grupo de estudos que vai capacitar os futuros pesquisadores, multiplicadores e colaboradores do instituto. Nosso time ficará mais diversificado e qualificado. Salvar vidas importa, e essa diretriz nos move e orienta. Somos gratos à Secretaria Municipal de Educação de Duque de Caxias por nos acompanhar e apoiar, dando visibilidade ao nosso trabalho. Em 2020, estaremos mais juntos na luta pela valorização da vida”, comemorou.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

About Marilea