As consequências do bullying não são novidade nem para a vítima e tampouco para o agressor. Pensando nisso, a SME intensifica suas ações nos ambientes virtuais e, também, no ambiente escolar.

Hoje, 07 de abril, Dia Nacional de Combate ao Bullying e à Violência na Escola, ocorre a palestra (online) “Bullying – Prevenção e combate na escola”, ministrada pela pedagoga, Paola Centieiro. A ação realizada pelo NEMP (Núcleo da Equipe Multiprofissional) e o DEB (Departamento de Educação Básica), tem como objetivo demonstrar aos alunos e educadores como abordar de forma correta o assunto.

“Sofri bullying quando criança, e somente quando cheguei a idade adulta que compreendi o que aconteceu na época e as consequências emocionais que carreguei. Invistam em educação emocional e fortalecimento emocional de suas crianças e adolescentes. Saúde emocional é fator fundamental da constituição humana”, explica a palestrante Paola.

Vale lembra que, esta data instituída pela Lei nº 13.277, de 29 de abril de 2016, marca a tragédia de Realengo (RJ), em 2011, quando o ex-aluno da Escola Municipal Tasso da Silveira, Wellington Menezes, invadiu uma sala de aula e atirou contra as crianças, matando 11 delas, tirando a própria vida, em seguida.

Segundo uma pesquisa conduzida pela Universidade de Oxford, 30% dos casos de depressão podem ser atribuídos ao bullying na adolescência. Os especialistas inclusive acreditam que intervenções contra o bullying nas escolas poderiam interferir positivamente nos casos de depressão.

A literatura no bullying

E, quem disse que a literatura não pode salvar vidas? Aproveitamos a data para abordar o papel da Educação neste tema. Uma maneira bacana de educar é por meio da leitura, e o livro “E se fosse você”, da autora Anete Lacerda, aborda o assunto de forma sutil e instrutiva, em que quando precisou frequentar a escola, algo muito ruim começou a acontecer: o terrível bullying praticado por alguns colegas.

“Já estava escrito a partir do sofrimento provocado pelo bullying na minha infância. Então, eu me lembrei das minhas experiências e das pessoas do meu entorno que também eram mal tratadas, e escrevi em 15 dias”, esclarece a autora.

O livro conta a história de Lili que era uma menina feliz que adorava brincar com seus irmãos no belo quintal de casa. Mas quando precisou frequentar a escola, algo muito ruim começou a acontecer: o terrível bullying praticado por alguns colegas. A tristeza tomou conta da menina, até que algumas atitudes foram adotadas.

About Marilea