Resultado de um ensino transformador, que preza pela excelência, 24 alunos de sete escolas municipais de Duque de Caxias foram aprovados em instituições federais de Ensino Médio. Eles atribuem o sucesso às longas, porém, prazerosas jornadas de estudos, graças ao apoio incondicional do corpo docente e direção da escola. Para homenageá-los, a Secretaria Municipal de Educação, por meio da subsecretária Pedagógica, Tatiana Várzea, e sua equipe, promoveu na terça-feira (17/12), a entrega de certificados de Honra ao Mérito, além de uma conversa interativa, marcada por relatos emocionantes de superação, determinação, solidariedade e disciplina, que renderam a aprovação nos disputados concursos do Colégio Pedro II, IFRJ (Instituto Federal do Rio de Janeiro) e unidade técnico-científica da Fiocruz. O encontro foi acompanhado por professores, diretores e mães de alunos.
De acordo com Tatiana Várzea
é um orgulho para rede a conquista desses resultados, pois comprova o potencial do ensino público de Duque de Caxias. “Isso mostra que estamos no caminho certo. Esses alunos são a prova de que nada é obtido sem esforço. Além disso, os profissionais estão de parabéns por unirem suas forças em prol de uma educação básica de qualidade que transpõe obstáculos e alcança dados excelentes”.
          Um dos estudantes que obteve um excelente resultado, é Jonathan Lázaro Pereira, da Escola Municipal Minas Gerais, no bairro Parque Fluminense. Ele, que ainda conquistou recentemente a medalha de ouro na Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP), foi aprovado no Colégio Pedro II e na instituição católica São Bento, para onde optou ingressar. “A gente abre mão de jogar uma bola; o cansaço nos acompanha, mas a recompensa é maior do que tudo isso. Penso no meu futuro”, contou o menino, que sonha seguir carreira na Medicina.
A aluna da Escola Municipal Professor Romeu Menezes dos Santos, Sara Gabrielle Moreira, é outra que comemora a aprovação. Durante o bate-papo, ela, que conquistou uma vaga no IFRJ, destacou o incentivo e a dedicação dos professores, em especial, Jorge Fagundes e a diretora Ana Cristina Conceição. “Eles nos motivavam o tempo todo. Mesmo diante das nossas dificuldades, estavam sempre ali para nos ajudar. Isso nos tornou ainda mais unidos e determinados. Não é porque estudamos em escola pública que não podemos alcançar a nossa meta. Nosso ensino é de qualidade e pudemos competir de igual para igual com alunos de escolas particulares”, vibrou.

             A escola Romeu Menezes, que, só este ano, conta com oito alunos aprovados no IFRJ, mantém um projeto a partir do 8º ano de escolaridade, com três professores voluntários: Jorge Fagundes, de Matemática; Ana Cristina Noronha e Daniele Baptista, ambas de Língua Portuguesa. Eles ministram mais nove tempos extras, apostando no sucesso dos seus alunos. “Felizmente temos conseguido excelentes desempenhos e isso também reflete nos resultados da escola. Atesta o bom trabalho que desenvolvemos e motiva todos os professores a continuarem se dedicando a um ensino de qualidade. Outro ponto a ser considerado é a mudança no comportamento dos alunos. Vai muito além de estudar o conteúdo da prova, é um ajudando o outro a superar os desafios e vencer.”, destacou a diretora.

              Em relação à homenagem prestada aos alunos, o professor Jorge Fagundes foi enfático: “Não é todo município que faz um reconhecimento como esse. Isso também faz muita diferença, o que é gratificante para nós. A nossa expectativa é que o novo ano seja ainda melhor”, acrescentou o educador.

              Durante o encontro, alunos contaram também que para vencer os obstáculos é fundamental persistir, mesmo que em algum momento tudo pareça estar perdido. Como é o caso do aluno Myguel Barcellos, da Escola Municipal Mauro de Castro, no bairro Jardim Gramacho. Ele conta que pensou em desistir quando não foi aprovado na prova da EPCAr (Escola Preparatória de Cadetes do Ar), mas o apoio dos professores fez ele resistir. “Se eu tivesse abandonado, não estaria agora no IFRJ”, lembrou.

              Outro da mesma escola que também tem muito o que comemorar é Henrique de Freitas Costa. Ele ficou em segundo lugar, no colégio Pedro II, com uma das maiores notas em redação: 8.75. O jovem, que é destaque em Matemática e Língua Portuguesa, quer ser advogado e ainda faz sucesso com poesias de sua autoria.

              A mãe de Henrique, Edilene de Freitas, que também participou do encontro, foi às lágrimas ao ver o filho receber o certificado. “É um sonho sendo realizado. Em primeiro lugar, agradeço a Deus e, em segundo, a diretora Naise e aos professores que acreditaram no meu filho e ainda pagaram a inscrição dele para prestar o concurso. Ele estuda nessa escola desde pequenininho e sempre foi um excelente aluno”.

              De acordo com a diretora Naise, a fórmula para o sucesso é uma só: trabalho em equipe e dedicação. “Todo o nosso efetivo, desde a direção até a coordenação e corpo docente, é muito unido. Aí criamos vínculos com os estudantes para que eles possam se conhecer e desenvolver o próprio potencial. Tudo isso, aliado à disciplina, só rende bons frutos, como podemos ver. Inscrevemos cinco alunos e todos foram aprovados. No ano anterior, também tivemos resultados como esses”, acrescentou.

           Outro professor que também foi muito elogiado é Taylor José Araújo, do Ciep Municipalizado 097 – Carlos Escola Carlos Chagas, no bairro Gramacho. O educador é tão apaixonado pelo que faz, que fez questão de dar uma pausa na comemoração de sua festa de aniversário para participar da homenagem às suas quatro alunas. “Ele é um exemplo para nós. Mesmo morando longe, nunca mediu esforços para nos dar atenção e ficar até depois da hora. Sentiremos muitas saudades dos professores, dos nossos projetos, dos grupos de teatro e de estudo, além do estrogonofe servido na merenda da escola, que é uma delícia”, enumerou a saudosa, Graziele Barros, ao lado das colegas de turma, Laila Bonifácio, Brenda do Carmo e Ester de Souza, todas aprovadas em instituições federais.

Segundo a diretora do Ciep Carlos Chagas, Marli Viana, que estava acompanhada da vice, Flávia de Almeira, exemplos de superação devem ser sempre compartilhados. “Diante de todas as dificuldades, somos mais que vencedores. Eu também sou aluna de escola pública e terminei a minha pós-graduação aos 62 anos de idade. Todos nós somos capazes, basta acreditar. Nossas experiências servem de sustentação para eles”, advertiu.

About Marilea