Na última quarta-feira (23), foi realizada a apresentação do projeto Prosa, Projeto de Suporte à Aprendizagem, por meio do qual nossos alunos, previamente selecionados, serão acompanhados por professores que darão aulas de reforço escolar no contraturno, a fim de melhorar a aprendizagem e recuperar o ano letivo que, de certa forma, fora interrompido por conta da pandemia. Essa iniciativa partiu da Secretaria Municipal de Educação, contemplando, a princípio, alunos matriculados em turmas de 4° e 5° anos de escolaridade em mais de 50 escolas da rede municipal.

O ciclo formativo, ofertado aos professores que compõem o Prosa, acontece até a próxima quarta-feira (30) com encontros online, assessorados pelo Centro de Referência em Estudos, Pesquisas e Formação Continuada – Sala Paulo Freire. Após a formação, os professores estarão preparados para atender às necessidades dos alunos que apresentam dificuldade de aprendizagem e que serão indicados pelas unidades de ensino. A escolha dos contemplados está atrelada ao nível de proficiência em leitura e escrita e nos conhecimentos lógico-matemáticos em que se encontram.

“Esta rede é extremamente compromissada. Os nossos alunos estão em uma nova adaptação ao ensino, por conta de uma situação que alterou a vida de todos mundialmente. Hoje estamos recomeçando e buscando construir a melhor forma de chegar até os alunos e de recuperar o tempo que ficou para trás”, salientou Glacione Arruda, diretora da Sala Paulo Freire.

O projeto Prosa prevê que os estudantes que apresentam qualquer tipo de dificuldade em leitura, em escrita ou em raciocínio lógico possam ter o amparo de um professor dedicado somente a ajudá-los em seu desenvolvimento. A intenção é que, ao final do projeto, os alunos ampliem suas habilidades e superem a deficiência inicialmente detectada, proporcionando uma transição para o 6° ano da forma mais proveitosa o possível. A carga horária das aulas ministradas a esse público-alvo precisa ser diferenciada e, por isso, será ampliada, já que o Prosa acontecerá no contraturno das aulas regulares, estando esse grupo de discentes integralmente na escola.

A Subsecretária Pedagógica, Myrian Medeiros, destaca que “Esta singular situação exige um olhar atento e sensível de nós, gestores, apaixonados pela educação, para que, com ações como esta, possamos minimizar as lacunas curriculares e, assim, contribuir cada vez mais com um ensino de qualidade para as nossas crianças”.

Tendo ciência de que os impactos socioemocionais vividos por cada criança interferem diretamente no seu processo de ensino e aprendizagem, o projeto Prosa dispõe de uma equipe multidisciplinar formada por psicólogas, por assistentes sociais e por uma fonoaudióloga. Com isso, todas as demandas que surgirem serão captadas e registradas pelas unidades escolares e encaminhadas à equipe multidisciplinar.

Acerca de todo esse projeto, crucial de ser implementado em nossa rede, a diretora do Departamento de Educação Básica Denise Ana declarou o seguinte: “Nossos alunos têm um potencial a ser explorado, e estamos também acreditando no potencial de vocês, professores! Quando a gente age positivamente na vida dos alunos, isso reverbera a sua volta. Precisamos ser esses professores que marcam positivamente a vida dos alunos!”.

About Victoria farias